estradas perdidas

Atrás de casa, encoberta por tufos de erva daninha, silvas e bidões abandonados, o comboio de janelas iluminadas vinha das Quintãs e silvou depois do túnel em curva, em direcção a Aveiro. Ali ao lado há uma estrada, a minha primeira estrada. Mulheres e homens cruzam-na impelindo teimosamente os pedais das bicicletas. Junto à vitrine de um pronto-a-vestir lê-se "Modas Katita". De uma taberna, saem dois homens que se dirigem para duas Famel-Zundapp. Estrada perdida.

2006-01-09

Acabem com isto!

Para quê escrever sobre as eleições presidenciais quando está tudo escrito? Hoje faço minhas as palavras de Vasco Pulido Valente: "Não nos podem poupar estas duas semanas de massacre até 22?"

3 Comments:

  • At 6:23 da tarde, Blogger Luís said…

    Eu já tenho a minha dose há algum tempo.Até depois do dia 22, só irei ver o telejornal fora desse maldito tempo, recuso-me a ver palhaçadas de danças e beijinhos a velhas desdentadas.

    Grande vasco pulido valente, também li e aprecio bastante esse cronista.
    Um abraço

     
  • At 2:22 da tarde, Blogger nunf said…

    Por acaso bem podeiam acabar com isto...

     
  • At 3:05 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Cool blog, interesting information... Keep it UP » »

     

Enviar um comentário

<< Home