estradas perdidas

Atrás de casa, encoberta por tufos de erva daninha, silvas e bidões abandonados, o comboio de janelas iluminadas vinha das Quintãs e silvou depois do túnel em curva, em direcção a Aveiro. Ali ao lado há uma estrada, a minha primeira estrada. Mulheres e homens cruzam-na impelindo teimosamente os pedais das bicicletas. Junto à vitrine de um pronto-a-vestir lê-se "Modas Katita". De uma taberna, saem dois homens que se dirigem para duas Famel-Zundapp. Estrada perdida.

2007-02-07

DESEMPREGADO, APRESENTE-SE!

Ontem fui convidado para uma "intervenção técnica" a ter lugar no centro de emprego da minha zona, às 14h00. A "intervenção técnica" que começou às 14h35 porque parte dos funcionários do centro regressaram de almoço depois das 14h00, serviu para que eu e outros desempregados licenciados ficassemos a saber das nossas novas obrigações: Temos de enviar obrigatóriamente dez pedidos de empregos ou anúncios por mês e fazer provas disso e passamos a ter de nos apresentar de 15 em 15 dias na junta de freguesia da nossa área.
Um homem ainda perguntou: "Mas porque é que temos de nos apresentar de 15 em 15 dias?" A funcionária explicou: "Não é tanto por vossa causa mas é para controlar os que andam aí a fazer biscates e a receber o subsídio de desemprego..."
Conclusão: Não fiz mal a ninguém, estou desempregado por razões que me são alheias e ainda tenho de me sentir culpado de estar no desemprego e passar pela humilhação de me apresentar quinzenalmente na junta de freguesia: "Olá, sou o Nuno Ferreira, continuo desempregado". E está a cumprir bem as suas obrigaçõezinhas, tem realizado a procura activa de emprego? "Tenho sim, minha senhora...

P.S. Se quiser deslocar-me ao estrangeiro, tenho de pedir suspensão do subsídio de desemprego...

4 Comments:

Enviar um comentário

<< Home