estradas perdidas

Atrás de casa, encoberta por tufos de erva daninha, silvas e bidões abandonados, o comboio de janelas iluminadas vinha das Quintãs e silvou depois do túnel em curva, em direcção a Aveiro. Ali ao lado há uma estrada, a minha primeira estrada. Mulheres e homens cruzam-na impelindo teimosamente os pedais das bicicletas. Junto à vitrine de um pronto-a-vestir lê-se "Modas Katita". De uma taberna, saem dois homens que se dirigem para duas Famel-Zundapp. Estrada perdida.

2005-11-20

O BEIJO

Muito se escreveu sobre o beijo de duas raparigas numa escola de Gaia que a este momento devem estar a perguntar-se "mas porquê tanto barulho? Não devem ter mais nada que fazer..." No entanto, nada ultrapassa, sobre o assunto, J.AS. na sua coluna "Política à Portuguesa, no semanário "Expresso", a 19/11/2005.

Eis alguns excertos:

"O que faria eu se dois jornalistas do Expresso, do mesmo sexo ou de sexos diferentes, se dedicassem com regularidade a trocar carícias na redacção?"

"Não é recomendável que se troquem carícias íntimas num pátio de uma escola, como não é razoável fazê-lo no local de trabalho ou na parada de um quartel."

Posição do Estradas Perdidas sobre o assunto depois de consultado o seu conselho editorial numa reunião que demorou 9 horas : Beijem-se à vontade

Baiser1Bibicheetmoi[1]
Foto retirada do Blog Lips'n Kiss

3 Comments:

Enviar um comentário

<< Home