estradas perdidas

Atrás de casa, encoberta por tufos de erva daninha, silvas e bidões abandonados, o comboio de janelas iluminadas vinha das Quintãs e silvou depois do túnel em curva, em direcção a Aveiro. Ali ao lado há uma estrada, a minha primeira estrada. Mulheres e homens cruzam-na impelindo teimosamente os pedais das bicicletas. Junto à vitrine de um pronto-a-vestir lê-se "Modas Katita". De uma taberna, saem dois homens que se dirigem para duas Famel-Zundapp. Estrada perdida.

2005-06-18

UM BLOG TOLERANTE

"Portugal orgulha-se de ser um país tolerante. Tal como no passado outros países acolheram os nossos emigrantes, nós recebemos outros povos e outras culturas ao longo de 30 anos de democracia (...) Não vamos dar guarida a demagogias, xenofobias, ao racismo"

Jorge Sampaio, Cova da Moura, 18/6/2005

O Estradas Perdidas orgulha-se de ser um blog tolerante. Tal como no passado outros países acolheram os nossos emigrantes, nós recebemos outros povos e outras culturas ao longo de 30 anos de democracia. Não vamos dar guarida a demagogias, xenofobias e ao racismo.

Estradas Perdidas, 18/6/2005

7 Comments:

  • At 1:56 da manhã, Anonymous Filipe Torres said…

    Vamos todos ser tolerantes!! claro!! eu tenho é tido azar na vida sempre que fui assaltado ( foram poucas a vezes ) foi por individos de raça negra!! Azar ? coincidência ? talvez sim, talvez!! óbviamente não generalizo!!! Agora não me posso esquecer que andei na escola preparatória em miraflores onde à saída da escola voavam pedras de um bairro vizinho o denomidado bairro dos "Hungaros"!!! Tb não me esqueço de um episódio em que fui com o meu Tio, autor deste blog, ver o Benfica e ao sair do estádio estava um rapaz a ser assaltado por uns "negros" ( fica bem dizer negros não parece tão racista como pretos ) e o meu tio logo prontamente tentou defender o rapaz que ficou sem uma manga do seu "Duffy" claro que depois teve que dizer a frase da ordem "Preto do car..." mas prontos são tempos, outros tempos talvez!! O benfica tb não era campeão à 11 anos e este ano foi!!

     
  • At 2:00 da tarde, Blogger NUNO FERREIRA said…

    Filipe:
    Posso confessar-te que às vezes quando o Mantorras falha um golo também digo" preto do caralho" e isso não quer dizer que esteja a ser racista.
    O teu tio tem muitos episódios, graças a Deus. Eu e um colega meu nos tempos da faculdade fomos assaltados por um branco junto da Cidade Universitária.
    Em Alvalade, no fim de um Sporting-Benfica, fui defender um branco que tinha sido roubado por outros brancos só porque trazia um cachecol do Benfica e levei uma charutada na perna de um branco.
    Tb não me esqueço de visitar a Quinta do Mocho e uma preta ou negra como quiseres me avisar: "Cuidado que aqueles jovens podem roubá-lo".
    Acho que o presidente disse tudo quando ontem visitou a Cova da Moura- podia ter ficado em casa no seu bairro de brancos ricos: "todos os que julgam estar acima da lei devem ser punidos". Não estava a falar para brancos, estava a dirigir-se aos negros.

     
  • At 2:47 da tarde, Blogger NUNO FERREIRA said…

    Filipe:
    Posso confessar-te que às vezes quando o Mantorras falha um golo também digo" preto do caralho" e isso não quer dizer que esteja a ser racista.
    O teu tio tem muitos episódios, graças a Deus. Eu e um colega meu nos tempos da faculdade fomos assaltados por um branco junto da Cidade Universitária.
    Em Alvalade, no fim de um Sporting-Benfica, fui defender um branco que tinha sido roubado por outros brancos só porque trazia um cachecol do Benfica e levei uma charutada na perna de um branco.
    Tb não me esqueço de visitar a Quinta do Mocho e uma preta ou negra como quiseres me avisar: "Cuidado que aqueles jovens podem roubá-lo".
    Acho que o presidente disse tudo quando ontem visitou a Cova da Moura- podia ter ficado em casa no seu bairro de brancos ricos: "todos os que julgam estar acima da lei devem ser punidos". Não estava a falar para brancos, estava a dirigir-se aos negros.

     
  • At 11:25 da manhã, Blogger Pedro Caleja said…

    O meu melhor amigo no ciclo era o Florentino, filho de pais Cabo-Verdianos ou Afro-Português caso assim o queiram chamar. Eu chamava-o pelo nome.

    O Florentino vivia na Quinta da Princesa, um bairro que há uns 4 ou 5 anos até apareceu na televisão com uns putos (15 ou 16 anos) com uma metrelhadora na mão.

    Felizmente ele não era um desses e fomos bons amigos.

    No entanto julgo que está na hora de nos deixar-mos do politicamente correcto. Todos os Afro-Portugueses nascidos cá mas sem nacionalidade portuguesa que cometam um crime devem ser expulsos e não ser permitida a sua entrada no país.

    É a única forma de impedir que este sentimento de impunidade alastre.

    Os restantes, são muito bem vindos, porque são pessoas como todos nós e apenas estão a tentar melhorar as suas condições de vida, assim como os portugueses fizeram em tempos.

    Mas por favor, parem os branqueamentos de situações que cada vez se repetem com mais frequência e que só quem não sente o terror de viver em algumas zonas do pais pode ignorar.

     
  • At 1:46 da tarde, Blogger NUNO FERREIRA said…

    "Todos os Afro-Portugueses nascidos cá mas sem nacionalidade portuguesa que cometam um crime devem ser expulsos e não ser permitida a sua entrada no país"?

    Se nasceram cá, devem obviamente receber nacionalidade portuguesa. Se cometeram um crime, devem receber o mesmo tratamento que os outros portugueses brancos: Prisão.
    Não é justo que uns que nascem cá e são brancos fiquem cá a encher as prisões e outros que nascem cá, só porque têm a pele escura, devam ser expulsos.
    Não se deve branquear mas também não se deve exagerar, até porque a maioria da nossa comunidade prisional é constituída por brancos envolvidos em tráfico de droga.
    França, por exemplo, tem um problema muito mais grave com a segunda e terceira geração magrebina e não expulsa ninguém.

     
  • At 9:10 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Já estou como parece que é lei na Canadá :)
    Até à 4º Geração são considerados como não tendo nacionalidade portuguesa :)
    Fazem merda voltam para a terra deles! Tão simples quanto isto!
    Ah e com isto não me estou a referir apenas aos pretos ( só para que fique claro )
    Filipe Torres

     
  • At 11:23 da tarde, Blogger NUNO FERREIRA said…

    Um português que nasça no Canadá e seja legalizado pelos pais ou um português que nasça nos Estados Unidos e seja legalizado pelos pais, é respectivamente canadiano e norte-americano. Faz merda, como tu dizes, fica no local onde nasceu e cresceu.
    O que tem acontecido é que às vezes os pais esquecem-se de os legalizar e então, nos Estados Unidos, repatriam pessoas luso-americanas que cometeram um crime e não estavam legalizadas. Resultado: Nasceram nos Estados Unidos, são americanos, falam inglês, não falam nada de português, a cultura deles é a americana mas como roubaram um carro são mandados para os Açores só porque os pais não os legalizaram. É uma lei muito justa.

     

Enviar um comentário

<< Home