estradas perdidas

Atrás de casa, encoberta por tufos de erva daninha, silvas e bidões abandonados, o comboio de janelas iluminadas vinha das Quintãs e silvou depois do túnel em curva, em direcção a Aveiro. Ali ao lado há uma estrada, a minha primeira estrada. Mulheres e homens cruzam-na impelindo teimosamente os pedais das bicicletas. Junto à vitrine de um pronto-a-vestir lê-se "Modas Katita". De uma taberna, saem dois homens que se dirigem para duas Famel-Zundapp. Estrada perdida.

2005-11-05

PARIS A ARDER

Posted by Picasa "É muito fácil ir excitar os jovens e depois ir-se deitar. Mas nós estamos confrontados 24 horas por dia com esta situação. Não se pode dizer que se vai limpar os guetos com mangueiras de alta pressão".

(Francis Masanet, secretário-geral de um sindicato da polícia francesa referindo-se às declarações de Nicolas Sarkozy, ministro do Interior de França)

1 Comments:

Enviar um comentário

<< Home