estradas perdidas

Atrás de casa, encoberta por tufos de erva daninha, silvas e bidões abandonados, o comboio de janelas iluminadas vinha das Quintãs e silvou depois do túnel em curva, em direcção a Aveiro. Ali ao lado há uma estrada, a minha primeira estrada. Mulheres e homens cruzam-na impelindo teimosamente os pedais das bicicletas. Junto à vitrine de um pronto-a-vestir lê-se "Modas Katita". De uma taberna, saem dois homens que se dirigem para duas Famel-Zundapp. Estrada perdida.

2006-02-08

Freitas

Oh Freitas, está bem que os cartoons são ofensivos, tudo bem. Mas uma palavrinha sobre a violência dos fundamentalistas islâmicos, hein? Que tal?

2 Comments:

Enviar um comentário

<< Home