estradas perdidas

Atrás de casa, encoberta por tufos de erva daninha, silvas e bidões abandonados, o comboio de janelas iluminadas vinha das Quintãs e silvou depois do túnel em curva, em direcção a Aveiro. Ali ao lado há uma estrada, a minha primeira estrada. Mulheres e homens cruzam-na impelindo teimosamente os pedais das bicicletas. Junto à vitrine de um pronto-a-vestir lê-se "Modas Katita". De uma taberna, saem dois homens que se dirigem para duas Famel-Zundapp. Estrada perdida.

2006-10-14

OLHA QUEM FALA

"O ambiente é de tal modo tenso nos últimos tempos dentro do Daily Telegraph que um simples atraso de alguém para uma reunião faz de imediato correr o boato de que se não aparece, então é porque também já foi despedido".

Jornal Público de 14 de outubro de 2006

1 Comments:

  • At 4:03 da tarde, Blogger maria said…

    Olá Nuno.

    Era só para te mandar um grande beijinho. Espero que continues a aparecer nos blues (em Coimbra)...

    (este é o meu blogue novo)

     

Enviar um comentário

<< Home