estradas perdidas

Atrás de casa, encoberta por tufos de erva daninha, silvas e bidões abandonados, o comboio de janelas iluminadas vinha das Quintãs e silvou depois do túnel em curva, em direcção a Aveiro. Ali ao lado há uma estrada, a minha primeira estrada. Mulheres e homens cruzam-na impelindo teimosamente os pedais das bicicletas. Junto à vitrine de um pronto-a-vestir lê-se "Modas Katita". De uma taberna, saem dois homens que se dirigem para duas Famel-Zundapp. Estrada perdida.

2006-02-02

A liberdade é um bem muito precioso

Um jornalista cubano entrou em greve de fome, exigindo acesso livre à internet em Cuba. Guillermo Fariñas, director da agência noticiosa independente Cubanacán Press, deixou de comer e de beber a 31 de Janeiro. “Quero que todos os cidadãos cubanos tenham direito a ligar-se à Internet, mas também que a imprensa independente possa informar sobre a actuação do Governo".
Os jornalistas da Cubanacán Press conseguiam enviar, até 23 de Janeiro, os seus despachos através de um centro público de acesso à Internet. Desde essa altura estão impedidos de fazê-lo. O acesso a Internet na ilha dirigida por Fidel Castro só é permitido através de uma autorização do partido único, que governa o país, e de forma censurada.

Conclusão moralista: A liberdade é um bem demasiado precioso. Vou já blogar, surfar na net, mandar mensagens. P... que pariu as ditaduras à esquerda, à direita, acima e atrás!

2 Comments:

  • At 10:26 da tarde, Blogger Carlos Azevedo said…

    Nem mais: sejam de esquerda ou sejam de direita, fuck them!

    (o problema é que são ela a f**** as pessoas...)

     
  • At 1:12 da tarde, Blogger Testa Alta said…

    Li este post no AGUALISA5.
    Deixei lá o comentário.
    Algo como PQP todas as ditaduras...
    Nunca é demais defender a liberdade, nossa ou alheia.

     

Enviar um comentário

<< Home