estradas perdidas

Atrás de casa, encoberta por tufos de erva daninha, silvas e bidões abandonados, o comboio de janelas iluminadas vinha das Quintãs e silvou depois do túnel em curva, em direcção a Aveiro. Ali ao lado há uma estrada, a minha primeira estrada. Mulheres e homens cruzam-na impelindo teimosamente os pedais das bicicletas. Junto à vitrine de um pronto-a-vestir lê-se "Modas Katita". De uma taberna, saem dois homens que se dirigem para duas Famel-Zundapp. Estrada perdida.

2005-07-06

Toca a vender produtos chineses na Madeira

"Os chineses estão a entrar por aí dentro, os indianos a entrar por aí dentro e os países de leste a fazer concorrência a Portugal"
Alguém faz sinal da assistência.
"Está-me a fazer um sinal porquê? Estão aí uns chineses? É mesmo bom para eles ouvirem porque eu não os quero aqui".

Alberto João Jardim, no passado fim de semana na Ilha da Madeira

2 Comments:

  • At 7:41 da tarde, Anonymous Copos said…

    Q dizer desse atrasado mental q há uns anos destruiu ondas de classe mundial e q levavam dinheiro do surf-turismo para os cofres da Madeira ao construir marinas e esporões e estradas...q agr estão a ser destruídas pela força do mar por n terem sido levados a cabo estudos previos.

    Após um protesto de uma ONG chamada Save the Waves...a besta disse o mesmo "vão fazer Surf p outro lado!!"

    Enfim...estamos entregues aos bichos!

     
  • At 8:49 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    tou de acordo com o copos.

    e venha a liberalização do mercado para a Madeira , então aquela ilha não faz parte do mercado global, cheers

     

Enviar um comentário

<< Home