estradas perdidas

Atrás de casa, encoberta por tufos de erva daninha, silvas e bidões abandonados, o comboio de janelas iluminadas vinha das Quintãs e silvou depois do túnel em curva, em direcção a Aveiro. Ali ao lado há uma estrada, a minha primeira estrada. Mulheres e homens cruzam-na impelindo teimosamente os pedais das bicicletas. Junto à vitrine de um pronto-a-vestir lê-se "Modas Katita". De uma taberna, saem dois homens que se dirigem para duas Famel-Zundapp. Estrada perdida.

2006-06-19

Energia, muita energia

Ao fim destes anos todos, eis o que homem providencial, o prometedor de amanhãs que cantam e de um Portugal Europeu e Resplandecente ainda tem para nos dizer:

"Espero que a energia positiva que se tem vindo a criar em Portugal de norte a sul também seja utilizada para o desenvolvimento do país, para a recuperação da nossa economia, para o aumento do bem-estar da nossa sociedade".
Cavaco Silva, Braga 19 de Junho de 2006

3 Comments:

Enviar um comentário

<< Home